lincoln_memorial-e1480433370589
Segundo pesquisadora, as notícias falsas estiveram perto de derrubar Lincoln (Foto: Wikimedia)

Panfletos falsos alegando política eugenista no Partido Republicano colocaram reeleição de Abraham Lincoln em risco, diz pesquisadora

Recentemente, o Facebook tem sido alvo de polêmica por conta da veiculação de notícias falsas na rede social. Entre outros problemas listados, está o fato de que espalhar este tipo de conteúdo pode ameaçar uma campanha eleitoral. Porém, o fenômeno não é algo novo, nem criado após a revolução digital.

Para ter uma ideia, a veiculação de notícias falsas ameaçaram a campanha de reeleição à presidência de Abraham Lincoln em 1864. Notícias que circulavam em jornais americanos atacando o então presidente americano eram falsas, revelou uma pesquisadora americana. Segundo o estudo, as notícias eram divulgadas com o intuito de criar uma imagem negativa do presidente.

De acordo com a professora de história do Boston College Heather Cox Richardson, as notícias que disseminavam uma imagem eugenista de Lincoln, alegando que ele apoiava casamentos interraciais para criar uma “super-raça americana”, faziam parte de uma campanha do partido Democrata dos Estados Unidos para impedir a reeleição do presidente, que se candidatava pelo partido Republicano. Segundo Richardson, ainda que as notícias fossem falsas, elas estiveram “perto de derrubar Lincoln naquele ano”.

Lincoln se preparava para uma campanha de reeleição em meio a uma sangrenta guerra civil no país no início de 1864, quando começaram a aparecer os ataques. O primeiro deles veio de Samuel Sullivan Cox, um congressista democrata pró-escravidão, que em fevereiro desse ano fez um discurso inflamado no Congresso americano condenando a suposta política eugenista dos Republicanos.

Na ocasião, Cox citou um panfleto anônimo de 72 páginas chamado “Miscigenação: a teoria de misturar americanos brancos e negros”, que continham os ideais da “super-raça americana”.

Já em março, após a editora do jornal republicano New York Tribune, Horace Greeley, declarar que o casamento dizia respeito apenas ao casal, a imprensa democrata passou a divulgar ainda mais notícias alegando que republicanos eram pró-miscigenação. Além disso, mais panfletos foram circulados naquele ano, em uma política que quase custou a eleição a Lincoln – o republicano venceu por uma margem pequena o candidato democrata George McClellan, por 55% dos votos.

No entanto, o estudo indica que esses panfletos circulados eram falsos e foram criados por dois jornalistas republicanos, que confessaram a autoria deles após as eleições. Dessa forma, conseguiram alimentar o medo de que uma política abolicionista chegasse ao país, sobretudo nos estados do Sul.

Opinião & Noticia

Fontes:
Quartz-Fake news isn’t a recent problem in the US—it almost destroyed Abraham Lincoln

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *