constru_23032017

A Sondagem Indústria da Construção, elaborada pela FIERN, mostrou que, na opinião da maioria dos empresários, a atividade do setor no Rio Grande do Norte permaneceu contraída em fevereiro, embora em menor intensidade do que em janeiro, e, inclusive, em relação à série dos últimos 12 meses; mesmo assim, o nível de atividade ficou abaixo do padrão usual para o período, comportamento que se repete de forma contínua desde fevereiro de 2013. Acompanhando o recuo da atividade, o número de empregados também caiu, mantendo a tendência de baixa que vem sendo observada desde outubro de 2013.

O nível médio de Utilização da Capacidade de Operação (UCO) caiu de 41% para 40%, atingindo, assim, o menor valor da série histórica iniciada em janeiro de 2012. As expectativas dos empresários em relação aos próximos seis meses tornaram-se mais pessimistas em todos os aspectos avaliados a saber, nível de atividade, compras de insumos e matéria-prima, novos empreendimentos e serviços e número de empregados. Já a intenção de investimento voltou a subir – aumento de 1,9 pontos na comparação com o levantamento anterior.

Comparando-se os indicadores avaliados pela Sondagem Indústria da Construção potiguar com os resultados divulgados dia 23/03 pela CNI para o conjunto do Brasil, observa-se que, de um modo geral, as avaliações convergiram.

Fiern

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *